18/04/2012

Resgate da cultura
indígena no Berohokã


Índia mestiça da Aldeia Meruri, Maria do Carmo Toledo, mostra miniaturas de Índios Kalapalo e Xavante. Ela morou na Ilha do Bananal, mora em Aragarças às margens do Berohokã - o grande Rio Araguaia - e com seu trabalho viajou pelo Brasil mostrando o que o índio produz e usa e, assim, mantém viva a cultura indígena

Cuias de coité para tomar água e instrumentos musicais como o maracá utilizado nas danças indígenas

Foto histórica mostra índio Karajá da Ilha do Bananal na década de 50

Aruanã dos índios Karajá

Foto histórica mostra Xavantes há 50 anos preparado alimentos. "Como a alimentação muda o ser humano. Os índios Xavante tinham estatura de 2 metros de altura e, hoje, estão na faixa de 1,70 metro por causa da alimentação. Antes comiam muitas frutas, peixe, caça e hoje estão comendo muito pão, tomando refrigerante e continuam comendo carne", observa Maria do Carmo em foto exposta em sua loja Bêro Can em Aragarças

Tela com criança Caiapó

Outra foto histórica mostra índio Xavante na década de 50 conduzindo cesto na cabeça

Maria do Carmo: "O artesanato indígena feito dentro de uma aldeia tem uma alma. Quando é feito fora da aldeia fica mestiço como eu"

Reprodução de tela mostrando índio Caiapó

Brincos com penas de aves

Cesto para carregar alimentos ou objetos

Colares confeccionados utilizando sementes

Índio Caiapó em tela de um artista plástico do sul da Bahia

Maria do Carmo: "Na nossa passagem por este planeta, curumim, temos de deixar nossas pegadas"

Tartaruga confeccionada a partir de cabaças: artesanato local de Aragarças

Máscaras do kuarup do Xingu e cestarias Karajá

Artesanato mostra o Aruanã dos índios Karajá

Resina aromatizante

Rio Araguaia em Aragarças, Goiás. O quintal de Maria do Carmo sai na Praia Quarto Crescente. Do outro lado do rio é Barra do Garças, no Mato Grosso

Entrevista concedida em cima do banco xinguano com as cerâmicas dos índios Wuará ao fundo

Tela pintada por Maria do Carmo: índio xinguano

Máscaras indígenas utilizadas no Kuarup no Xingu

"Saí da aldeia com 14 anos, casei com 17 anos e fui embora. Quando retornei achei que meu povo estava perdendo a cultura. Estavam se envolvendo com álcool, as meninas muito cedo já eram mães - meninas com 18 anos já tinha três ou quatro filhos. Eu quis ajudar eles de alguma maneira"

O turista em Aragarças encontra artesanato indígena

Artesanato local: pescador com vara de anzol em Aragarças ou Barra do Garças

Maria do Carmo em sua loja

Maria do Carmo em banco esculpido por índios do Xingu. Detalhe: um animal com duas cabeças.

Maria do Carmo e Yuara Crescencio em Aragarças

"Como eu não era funcionária da Funai, montei uma loja para mostrar a cultura deles criando uma ponte em Barra do Garças, Aragarças, entre o índio do Acre, Rondônia, São Félix do Araguaia, Xingu e de Brasília. Mas para manter essa ponte funcionando pensei no custo que ia ter e na terra de índio não se vende coisa de índio. Então fui obrigada a sair para fora, fazer exposições por todo o Brasil levando o índio para mostrar que realmente era do índio"

Colar confeccionado por índios com "pedras" retiradas da cabeça do peixe curvina. Cada peixe tem duas "pedrinhas" dessas na cabeça

Banco xinguano, peça única na loja

Coités, cestos e maracás

Artesanato: ET. Em Barra do Garças em cima da Serra Azul há um discoporto e há quem diz que já viu Ovinis no local

Um dos colares dos índios xavantes é feito com sementes do capim navalha

Maria do Carmo no seu quintal na beira do Rio Araguaia

Outro ângulo da loja

Banco esculpido por índios do Xingu

Cuias e o maracá de coite utilizado durante as danças indígenas

Cerâmica dos índios Waurá do Xingu: peças utilitárias. Cerâmica para uso no dia-a-dia

Cerâmica dos índios Karajá que mostra mais a pintura corporal

Puçá é um tipo de rede indígena utilizada pelos índios para pescar



Veja também vídeo que mostra o trabalho da índia mestiça do Berohokã

A Cultura Indígena Extrapola Fronteiras


Índios do Brasil


Índios do Brasil 2

Um comentário:

  1. Quero comprar miniaturas dos índios brasileiros,
    onde posso encontrar ?
    Aguardo contat, criscasalta@gmail.com

    ResponderExcluir